CUT PR > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE LATERAL > TODOS PELA ENERGIA NESTA QUARTA-FEIRA

Todos pela energia nesta quarta-feira

12/03/2012

Seminário discutirá as renovações das concessões do setor elétrico neste dia 12 de março

Escrito por: Senge-PR

Todos pela energia nesta quarta-feira
Nesta quarta-feira (14) o Senge-PR ao lado da Plataforma Operária e Camponesa da Energia, articulação de movimentos sociais (MAB, MST, MPA, Via Campesina) de sindicatos e federações (Sindipetro-PR/SC, Fisenge, FNU, FUP, Sinergia, Sindieletro, entre outros), promove um Seminário pela renovação das concessões do setor elétrico que vencem em 2015. O evento acontece no Centro de Convenções do Shopping Estação a partir das 8h.

AS PRIVATIZAÇÕES

Os anos 1990 foram marcados por uma forte política de privatizações no Brasil. Empresas e setores estratégicos que pertenciam ao povo brasileiro foram entregues à iniciativa privada (como a Vale do Rio Doce, Telebrás, CSN, etc). Dentre esses setores, o setor elétrico também foi duramente atingido. Várias usinas hidrelétricas e companhias de distribuição foram privatizadas. O resultado desse processo de privatizações foi o apagão de 2001, resultado da falta de investimentos e manutenção de parte da iniciativa privada.


O QUE ESTÁ VENCENDO?

A partir de 2015, significativa parte do setor elétrico (cerca de 30%) estará com suas concessões vencendo, precisamente 20% da geração, 80% da transmissão e 49 empresas distribuidoras. Esse montante de energia representa um negócio anual superior a R$ 30 bilhões. Por se tratar de concessões de 30 anos o valor chega a atingir cerca de R$ 1 trilhão.


QUE EMPRESAS ESTÃO COM CONCESSÕES VENCENDO?

Nesse processo, importantes empresas públicas, patrimônio do povo, estarão com concessões vencendo, dentre as quais destacamos Copel, Eletrosul, Celesc, CEEE, Cesp, Cemig, Eletronorte, Furnas, Chesf, dentre outras.

QUAIS SÃO AS PROPOSTAS EM DISPUTA

Um valor de R$ 33 bilhões/ano ou de R$ 1 trilhão/30 anos desperta e instiga os interesses das grandes empresas transnacionais para mais uma vez saquearem o patrimônio do povo e aumentar sua exploração sobre os trabalhadores e trabalhadoras. Estes setores privatistas defendem que o governo realize leilão de todas as concessões que estarão vencendo a partir de 2015. Nesse sentido o LEILÃO significa PRIVATIZAÇÃO! Publicamente, as grandes empresas defendem a redução do preço da energia, mas não dizem que essa redução seria apenas para eles mesmos (para se ter idéia no estado do Paraná 2% dos consumidores consomem 50% da energia consumida). São grandes empresas que pagam até 12 vezes menos do que o povo pelo preço da energia.


PLATAFORMA POPULAR PARA A ENERGIA

A Plataforma Operária e Camponesa da Energia, articulação de movimentos sociais (MAB, MST, MPA, Via Campesina) e sindicatos e federações (Senge-PR, Sindipetro-PR/SC, Fisenge, FNU, FUP, Sinergia, Sindieletro e outros) defendem a renovação das concessões, no sentido de garantir que esse bem público continue na mão do Estado para que possamos lutar pela redução das tarifas de energia (preço da luz) para os trabalhadores do campo e da cidade, melhorar as condições de trabalho dos operários das grandes obras, dos trabalhadores do setor elétrico e petroleiro, bem como a criação de um fundo social com recursos das empresas para aumentar os investimentos e melhorias em educação, saúde, transporte, habitação, saneamento e reforma agrária. Para que se reconheça e garanta os direitos das populações atingidas por barragens, pelo fim das terceirizações e da precarização do trabalho de eletricitários, petroleiros, engenheiros e operários.
  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista

#AnulaReforma

RÁDIO CUT
Rede Brasil Atual Somos fortes somos cut

R: João Manoel, 444 - Cep: 80510-250 - São Francisco - Curitiba/PR
Telefone (41) 3232-4649 - Fax (41) 3324-5106 - E-mail: cutpr@cutpr.org.br